quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Salada de frutas, cafezinho e uma contusão. Parte 3

























Salada de frutas, cafezinho e uma contusão.
(Os bastidores de uma decisão: Roberto Gomes Pedroza de 1968*)

(3º jogo: Vasco e Santos)
A decisão
Os colegas conheciam muito bem o gênio do Fontana e, na concentração das Paineiras, discutimos muito a possibilidade dele ter dado um “migué”. Apostara na nossa derrota contra o Inter. Assim, enfrentar o Santos, parar Pelé, contra quem já tivera alguns episódios marcantes, o tornaria o grande herói vascaíno.
Moacir pôde sentir a pressão da torcida ao entrar em campo. Ao pisar os últimos degraus da saída do túnel, ouviu uma estrepitosa vaia.
“Fontana, Fontana, Fontana”! Gritava a torcida inconformada com a ausência do capixaba.
Depois, a torcida reconheceria a boa atuação do Moacir, cumprimentado até pelo Rei Pelé.
Levamos 2 a 0 no primeiro tempo. No primeiro gol, Pelé deixou Toninho Guerreiro na cara do gol e o segundo ele mesmo fez. Não conseguíamos ajustar as linhas e o escore ficou de bom tamanho. Nos vestiários, Paulinho de Almeida ajeitou a casa e voltamos para a segunda etapa praticando um futebol no mesmo nível do “Peixe”.
Diminuímos com um gol de Bianchini no final. O mesmo Bianchini acabou cavando a sua expulsão ao chutar o goleiro santista Cláudio que revidou a agressão. Arnaldo expulsou os dois e o goleiro saiu de campo chorando e inconformado. Jamais havia sido expulso e estava prestes a ganhar o prêmio de disciplina Belfort Duarte (Prêmio concedido ao jogador que jogasse 10 anos sem ser expulso).
Daí até o final, o Santos tocou bola, fazendo o tempo passar para comemorar mais um título.

Ficha do jogo:
Vasco 1 x 2 Santos
Local: Maracanã – 10/12/68
Vasco da Gama: Valdir, Ferreira, Brito, Moacir (Fernando) e Eberval; Benetti e Alcir; Nado, Biachini, Valfrido e Danilo Menezes (Adilson).
Santos: Cláudio (Laércio), Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Marçal e Rildo; Lima e Clodoaldo; Edu, Toninho (Douglas), Pelé a Abel.
Renda: 144 mil e trezentos e setenta e dois cruzeiros novos.
Pagantes: 54.994
Juiz: Arnaldo César Coelho


FASE FINAL - QUADRANGULAR DECISIVO
4/12/1968 1- INTERNACIONAL (RS) 1 x 2 SANTOS (SP) Olímpico, Porto Alegre, RS4/12/1968 2- PALMEIRAS (SP) 3 x 0 VASCO DA GAMA (RJ) Morumbi, São Paulo, SP8/12/1968 3- SANTOS (SP) 3 x 0 PALMEIRAS (SP) Morumbi, São Paulo, SP8/12/1968 4- VASCO DA GAMA (RJ) 3 x 2 INTERNACIONAL (RS) Maracanã, Rio de Janeiro, RJ10/12/1968 5- INTERNACIONAL (RS) 3 x 0 PALMEIRAS (SP) Olímpico, Porto Alegre, RS10/12/1968 6- VASCO DA GAMA (RJ) 1 x 2 SANTOS (SP) Maracanã, Rio de Janeiro, RJ.
(*) COM ESTES RESULTADOS O SANTOS SAGROU-SE CAMPEÃO DA TAÇA DE PRATA DE 1968 E OINTERNACIONAL SAGROU-SE VICE-CAMPEÃO.
O critério de desempate, gols, deu o 2º lugar ao Internacional, o 3º ao Vasco e o 4º ao Palmeiras.
*ATUAL CAMPEONATO BRASILEIRO.

2 comentários:

Mauro disse...

Os vascainos mais renhidos (como eu) compareceram ao Maracana guardando, no fundo, uma tenue esperanca de que o Vasco de alguma forma conseguiria a vitoria pelos dois gols de diferenca que precisava para se sagrar campeao. Infelizmente o Santos nao deu bobeira e liquidou logo a fatura. Mas ressalte-se a otima campanha do Vasco, que chegou no ultimo jogo com chances de ser campeao, ainda que remotas. Ressalte-se tambem que, no turno classificatorio, venceu o Santos, com Pele', por 3x2, num jogo sensacional: O Vasco chegou a estar vencendo por 2x0, sofreu o empate e fez o terceiro.

Uma pequena correcao na escalacao do Santos: Laercio entrou em substituicao ao Abel, e nao ao Claudio, que como menciona o texto, saiu expulso de campo.

O Claudio foi um excelente goleiro, talvez o melhor do Brasil na decada de 70, mas vivia com problemas nos joelhos e acredito que isso fez com que nao tivesse tido as oportunidades que merecia na selecao, inclusive na Copa de 1970. Talvez eu nao esteja me lembrando direito, mas acho que o seu falecimento prematuro teve relacao com seu problema no joelho - Valdir, voce deve se lembrar mehor do que eu e pode me corrigir se eu estiver equivocado. Pouca gente sabe, mas o Claudio foi reserva do Castilho no Fluminense e preferiu sair do clube por sentir que para chegar a titular teria que esperar a aponsentadoria do Castilho. Teve uma breve passagem pelo Bonsucesso e se consagrou no Santos.

Adalberto Day disse...

Valdir
Lembro bem desse jogo. O Vasco tinha um bom time mas não ganhava titulo algum nos anos 60 a não ser a Taça de Guanabara de 1965.
Este jogo o Vasco perdeu e qualquer time poderia perder pois o Santos com Toninho, Pelé e Cia era um timaço.
Adalberto Day cientista social e pesquisador da história