quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Salada de frutas, cafezinho e uma contusão.

Salada de frutas, cafezinho e uma contusão.(Os bastidores de uma decisão: Roberto Gomes Pedroza de 1968*)

Palmeiras x Vasco
O tempo, em São Paulo, estava como paulistano gosta: puxado pra nevoeiro.
O nosso almoço, no Hotel Danúbio, teria passado despercebido não fosse a salada de frutas oferecida pelo hotel como cortesia.
Já no Morumbi outra surpresa: bem no centro do vestiário, uma mesinha coberta com uma imaculada toalhinha branca, exibia duas bandejas, convidativas garrafas térmicas de café e várias xícaras. Bom pra espantar o frio que todo carioca detesta.
A maioria não resistiu ao apelo e atacou o pó preto fumegante sem dó.
Alguns ainda se tocaram:
“Pessoal, larga mão”! É gentileza demais, até Santo desconfia!
O técnico Paulinho de Almeida armou o time no sistema 4-3-3 para encarar o Palmeiras e não tinha muitas opções no banco de reservas. Na lateral esquerda, por exemplo, improvisou Moacir no lugar de Eberval quando este se contundiu.
O jogo foi uma lástima para o Vasco. O time se mostrava sonolento, apático. Principalmente na retaguarda. Mesmo assim a turma suportou o primeiro tempo que terminou zero a zero.
Moacir não conseguia parar o ponta Marco Antonio - apelidado de “Derrame” porque sempre ensaiava a jogada com um braço preso ao corpo e fazia deslocamentos desconjuntados pelo setor direito do ataque palmeirense.
Na zaga, Fontana, Brito e o goleiro Pedro Paulo viam de tudo, menos a bola. Pedro saía no vazio e, os zagueiros, no cara errado. O centroavante Artime, um argentino que perto deles ficava nanico, fez dois gols de cabeça e, pasme, salvou um em cima da linha. Buglê fez o terceiro – contra - da vitória alviverde.
Levamos até olé.
Na volta pra casa:
“E aí cara, foi o café ou a salada de frutas?”
“Eu comi a salada e não vi a cor da bola. E você? Por que bebeu aquela droga de café?”
“É que tava friozinho...”.

Ficha do jogo:
Palmeiras 3 x 0 Vasco
Estádio do Morumbi – SP

Gols: Buglê contra aos 17, Artime aos 19 e 35 minutos do 2º tempo.
Juiz: Armando Marques – Publico: 16.293 pagantes – Renda: Ncr$ 41.515,00
Palmeiras: Chicão, Eurico, Baldochi, Nelson e Ferrari; Dudu (Julio Amaral) e Ademir da Guia; Marco Antonio (César), Tupãzinho, Artime e Serginho.
Vasco: Pedro Paulo, Ferreira, Brito, Fontana e Eberval (Moacir); Alcir, Buglê e Danilo Menezes; Nado, Valfrido e Adilson (Paulo Mata).

(Atual Campeonato Brasileiro)
(Continua)

3 comentários:

loc disse...

Caríssimo Valdir:

Muito curiosa essa história do Vasco x Palmeiras pelo Robertão de 68.
Fato parecido aconteceu na decisão de 1948 entre Vasco 1 x 3 Botafogo, em General Severiano.
Dizem as línguas ferinas do futebol que o Carlito Rocha,então presidente da Estrela Solitária, ofereceu uma laranjada meio que "Mandrake" aos jogadores do Vasco no intervalo da partida. A "maionese" desandou no 2o. tempo com a incontestável vitória botafoguense. Olha que o Vasco já era o decantado Expresso da Vitória, mas o tal suco de laranja fez com que a locomotiva vascaína ficasse no meio do trilho, sem chegar à estação.
Parabéns pelo blog e pelas ótimas e curiosas narrativas.

Abraços,

Luiz Otávio Coutinho

Adalberto Day - Blumenau disse...

Valdir
O Meu Vasco está sonolento até hoje. O time é muito ruim e só perde as decisões. Tá na hora de tirar o Eurico Miranda, alias nunca deveria ter entrado. O Eurico acabou com a torcida do Vasco....veteranos se aposentam por lá, o Romário, já é dono do Vasco e torce para o Flamengo, o Vasco deve em torno de 140 mil mensais ao Romário, em um período de 14 anos.
Adalberto Day Cientista Social e pesquisador em Blumenau

Mauro Prais disse...

Valdir,

Essa partida foi transmitida ao vivo pela TV, coisa rara na epoca. Me lembro que os gols pareciam repeteco um do outro, pois foram muito parecidos. Culpa do cafezinho ou nao, depois desse jogo o Pedro Paulo perdeu a posicao para voce. Nao vou culpar unicamente o Pedro Paulo pela derrota, ja' que o time inteiro parou no segundo tempo, mas ele tinha como principal deficiencia as bolas cruzadas.

Numa nota mais leve: A data de hoje, 16/3, tambem caiu num domingo, e o goleiro do Vasco fez um gol. O mundo gira.

Grande abraco,

Mauro Prais