domingo, 5 de outubro de 2008

Goleiros (Ricardo Brandau*)

Valdir, o contador de histórias

De andarilho do futebol a um emérito contador de histórias. Assim pode ser resumida a trajetória de Valdir Appel, nascido em Brusque (SC), no dia 1º de maio de 1946. Loiro e com pinta de galã, começou no Paysandu, de sua cidade natal, em 1963. Dois anos depois, foi para o América do Rio e em 1966 se transferiu para o Vasco da Gama, onde ficou até 1973.
No clube cruzmaltino viveu bons momentos, embora tenha ficado boa parte do tempo na reserva de Andrada, tendo sido bicampeão de aspirantes (1966/67) e campeão carioca (1970). Inclusive estava no banco no jogo em que Pelé fez o milésimo gol, em 1969. Mas naquele ano, para seu azar, acabou marcado por um jogo contra o Bangu, pelo Campeonato Carioca, no qual fez um gol contra. Ao tentar lançar a bola com as mãos, equivocou-se e a jogou para dentro da sua meta.
Depois de sair do Vasco, começou a rodar o país. Jogou pelo Volta Redonda, Carlos Renaux, Sport Recife, Campo Grande, Bonsucesso, América de Natal, Alecrim, Goiânia, Atlético Goianiense e Rio Verde, no qual pendurou as luvas, em 1982. Também atuou nos extintos Palmeiras de Blumenau e Ceub.

No clube do Distrito Federal, reencontrou Pelé, só que desta vez como “vítima ativa” de uma jogada brilhante do Rei, no Campeonato Brasileiro, em 1974. Pelé recebeu na intermediária, com um drible de corpo livrou-se de Emerson, passou por Rildo, entrou em diagonal na área e com toque sutil fez a bola passar entre o zagueiro Pedrão e Valdir que vinham na corrida para tentar interceptar o lance e se chocaram. Gol do Santos.

Em depoimento posterior, Valdir deu sua visão bem-humorada da conclusão do lance: “O Pelé tirou-me da bola com uma finta de corpo, mandando-a por cima do meu corpo e para o canto esquerdo. O Pedrão, que vinha na cobertura, errou o alvo e acertou a minha canela. Gritei para ele que era para acertar a canela do Pelé e não a minha”.

Quando jogava pelo Alecrim, defendeu um pênalti em um jogo contra o ABC, batido pelo ídolo Alberi. Para provocar a torcida “frasqueira”, vestiu uma camisa vermelha, justamente a cor do rival América, colando ainda o número 1 com um esparadrapo.

O bom humor é a marca de Valdir, que se tornou empresário, cronista esportivo, escritor e blogueiro. No blog Na Boca do Gol, relembra outros “causos” interessantes e engraçados que viveu durante a carreira. Alguns desses episódios estão no livro homônimo, lançado em 2007.

GOLEIROS
O COLUNISTA Ricardo Brandau é jornalista e meio historiador (abandonou o curso na metade). Torcedor do Santos, acompanha futebol todos os dias (literalmente) desde a Copa de 70. Foi editor de esportes dos jornais A Notícia e Diário da Região, ambos de São José do Rio Preto. Atualmente é editor executivo da Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Nesta coluna, fala dos goleiros de ontem, de hoje e de sempre.
Acesse o site: http://www.papodebola.com.br/goleiros/

7 comentários:

Roberto Vieira disse...

Quando chega o segundo livro?

Anônimo disse...

Roberto,
Só falta o patrocínio. Enfim, falta tudo.
Abraço,
Valdir

Adalberto Day disse...

Valdir
O Ricardo descreve em seu texto para mim poucas novidades - comenta com propriedade suas andanças pelo nosso futebol Bretão. Digo poucas novidades, pois sempre acompanhei su tragetória pelo nosso futebol principalmente pelo Vasco, e é isso que ele relata, parabéns ao Aricardo Brandau pela sua bela descrição.
Adalberto Day de Blumenau

Celso Panzinato disse...

Valdir,

Muito bom o texto "contador de Histórias".
E o teu Vasco acabou salvando o Figueira. Agora ninguém segura o alvinegro do estreito, o Plameiras vai ser a próxima vitima. Com o novo técnico Mário Sérgio que "enxerga" muito bem o jogo, vai para a Sulamericana...

Celso Pazinato

Valdivino disse...

É, meu amigo! do final pra cá, eu conheço a história, a outra parte da história.

Bração! Parabéns!

Val

MAEL disse...

ME LEMBRO BEM DESTE JORGINHO CARVOEIRO POIS GANHEI ESTE MESMO APELIDO POR CAUZA DELE HEHEHEHEHE VALEU........

Francisco Assis disse...

CAro Valdir, foi um prazer Te encontrar ontem e principalmente falar de coisas boas que é o Futebol. Parabéns pela troféu, finalmente vejo homenagens merecidas sobretudo para quem está Vivo rsrsrsrsr.Grande abraço.Assis