domingo, 29 de junho de 2014


(O mestre Didi em frente à arquibancada do C. A. Carlos Renaux, 1958)

A cabine de rádio
O ano deve ser mil novecentos e ...enta.
Na antiga arquibancada do estádio do Clube Atlético Carlos Renaux, uma cabine de rádio feita de madeira se erguia imponente no meio da torcida tricolor brusquense.
O jovem locutor da Rádio Guarujá de Florianópolis, Roberto Alves, abriu assim a jornada esportiva daquele domingo de sol em Brusque:
-Um espetáculo de tarde estamos vivendo aqui no estádio Augusto Bauer. Lauro e eu já comemos o marreco do Schuma em companhia do Faquini e do Pereirinha. Agora a bola vai rolar para Carlos Renaux e Figueirense. Salve Brusque, sede dos primeiros JASC* e de Arthur Schlösser!**
Roberto e o seu colega Lauro Soncini, comentarista, saíram da capital ouvindo rumores de que o time local havia comprado o juiz da partida.
Roberto conhecia muito bem o temperamento do colega, que não tinha papas na língua, e tratou de colocar pano quente na transmissão antes mesmo de o jogo começar.
Perdeu tempo.
Bastou dar o apito inicial para Lauro cair de pau no juiz. Via pênalti em todo ataque do Figueira. Chegou a gritar pênalti num lance de falta na intermediária do campo.
Um exagero.
A cabine aberta possibilitava aos torcedores em volta ouvirem a transmissão e os comentários do Lauro. Pouco a pouco havia mais gente voltada para a cabine do que para o jogo.
O clima foi ficando tenso e Roberto, preocupado.
-Ô da sonoplastia! Tás ouvindo um chiado horroroso aí?
-Não é comigo não, seu Roberto? Parece mais barulho de serrote.
-Tás tolo! Tás!
E era.
Roberto, Lauro, sonoplasta, microfones e fios, tiveram a certeza quando a cabine desabou no meio dos torcedores.
Dois irritados brusquenses serraram os pilares de sustentação da cabine após perderem a paciência com os comentários do Lauro Soncini.

*Jogos Abertos de SC. ** Pai dos JASC
Esta história é a minha homenagem a estes dois monstros da comunicação catarinense: Roberto Alves e Lauro Soncini:
Roberto Alves é comentarista esportivo da RBSTV e da CBN Diário, além de escrever uma coluna no Diário Catarinense.

Lauro Soncini, ex-atleta, locutor, redator e comentarista esportivo , faleceu no dia 8 de dez 2008 aos 78 anos, em Florianópolis.

3 comentários:

Roberto Vieira disse...

Se essa idéia dissemina... uma das cabines de transmissão dos Aflitos é de madeira, rs... e fica no meio da social...

Adalberto Day disse...

Valdir Chiquinho
Como é bom ler seu blog...sempre belas recordações. Essa do Didi na foto em frente as cabines, é muito legal. Sabes eu me orgulho deste teu blog, pois sei que você teve a humildade de contatar comigo através de meu trabalho, e trocar idéias, então teu sucesso eu sinto um pedacinho de minha participação. O Roberto Alves também merece nosso reconhecimento. Não sabia da morte do Lauro, que também merece nosso respeito. Chiquinho meu irmão camarada...parabéns e como é bom compartilhar de sua amizade.
Adalberto Day de Blumenau

Anônimo disse...

Bom dia Chiquinho
Essas cabines do Augusto Bauer sempre foram precárias. O Laurto Soncini teve outras passagens incríveis. leia no www.edemarannuseck.blogspot.com onde no quadro Últimas Notícias (12.12.08) escrevo a respeito. Quero cumprimentá-lo pelo blog qyue resgata não sua história, mas momentos importantes do futebol brasileiro. Quando você começou no CE Paysandu jogamos contra lá por 60/61 num amistoso de Juvenis. Eu no gol do Guarani de Blumenau e você no Paysandu. O jogo terminou em dois a dois. Cruzamos em Natal quando você jogava no América. Fui lá transmitir pela Jovem Pan e conversamos. Continue contando histórias e estórias, aliás só pode contar que as viveu. Um granmde abraço
Edemar Annuseck