sábado, 10 de agosto de 2013

Renê
O zagueiro Renê veio do Bonsucesso para o Vasco e conseguiu a proeza de marcar 4 gols contra em apenas duas temporadas.

Um, que balançou as redes do Pedro Paulo num jogo do campeonato carioca, foi de uma beleza plástica incrível. Ao tentar atrasar a bola da sua intermediária para o goleiro, que se adiantara até a marca do pênalti, Renê alçou um lindo arco-íris sobre a cabeça do Pedro Paulo, que viu o balançar de suas redes sem nada poder fazer.
A dedicação de Renê, exercendo implacável marcação sobre Pelé, no dia 19 de novembro de 1969, para impedi-lo de marcar o milésimo gol, resultou num golaço de cabeça do zagueiro contra o arco de Andrada.
Renê antecipou-se ao Rei, escorando um cruzamento com endereço certo de Edu, enfiando a bola na gaveta de El Gato Andrada.
Neste caso, Renê ainda tinha uma desculpa:
‘O Rei iria marcar mesmo’.
Andrada costumava brincar dizendo-se muito mais preocupado com o zagueiro do que com os atacantes. Em perfeito “portunhol”, comentava:
‘O “negon” é um peligro! Coloca la pelota donde quier. Tiene uma pontaria perfecta’.

Cafuringa
Continuando a série de curiosidades sobre o atípico ano de 1969.

Os jornais da época davam muito mais destaque ao jejum de gols do ponta direita Cafuringa, do Fluminense, do que aos seus dribles de entortar e assistências perfeitas.
‘O homem não marca nem contra’.
Ele jurava que já tinha marcado um quando atuava nas categorias de base.
Mas ninguém lembrava. Não havia provas do crime, digo do gol.
Os goleiros dos times adversários tinham um pacto entre eles:
‘Deixe passar bolas do Flávio, do Lula, do Silveira. Do Cafu, nem pensar! Você vai ficar marcado igual o Andrada que levou o milésimo do Pelé. Só que negativamente’.
Dizem que até o Sepp Mayer do Bayern de München, que enfrentou o ponta em 1976, num amistoso no Maracanã contra o tricolor das Laranjeiras - vencido pelo time pó de arroz por 1 a 0 - fez das tripas o coração para evitar o rótulo de goleiro vazado pelo Cafuringa.
Em determinado momento da partida chegou a levar dois dribles e ainda assim conseguiu tomar a bola dos pés do Cafu.
-“Mann, hier nicht!” (Cara! Aqui não!)
Outra gozação foi publicada na época por um jornal carioca:
´Cafuringa é pretendido pelo Nacional de Montevidéu’. Numa alusão ao técnico Zezé Moreira, considerado, por muitos, inimigo número um do gol.
Sacanagem!
Segundo o matutino, Zezé teria dito:
‘Este é o atacante dos meus sonhos’.

12 comentários:

Adalberto Day disse...

Belo tema como sempre.
René eu vi jogar, era um Odvan melhorado. Fez um golaço contra o Santos, para o Santos, e nem o Andrada conseguiu pegar . Já o Cafuringa, deveria se chamar Confuringa, era muito ruim, não faia gol mesmo. Enrolava-se com a bola. Foi uma figura folclórica do nosso futebol como tantos, Perivaldo, Josimar, e tantos outros ruins.
Valdir mais um belo conto que você tirou da manga, para nos contar.Parabéns
Adalberto Day cientista social e pesquisador da história.

Valdir Appel disse...

Obrigado Adalberto.
Renê teve bons momentos em São Januario. Cafuringa, justiça se faça, era um bom assistente.
Grandes figuras.

Mauro disse...

Os dois primeiros anos do Rene no Vasco foram, no minimo, irregulares. Essa propensao a fazer gols contra fazia com que se ouvisse uma especie de murmurio de apreensao vindo das arquibancadas cada vez que o Rene pegava na bola na defesa. Mas depois ele se firmou e mostrou um otimo futebol, a ponto de uma torcida organizada passar a levar a todos os jogos uma faixa que dizia "Parabens, Rene, ja' es nosso idolo".

Valdir, talvez eu esteja enganado, mas o golaco contra por cobertura que o Rene marcou foi num Vasco x America em 1970 e o goleiro era o Andrada. Acho que o Vasco venceu por 3x2.

O Andrada, que considero o melhor goleiro que vi jogar no Vasco, conseguiu tomar gol do Cafuringa. Foi numa derrota por 2x1 para o Flu no Campeonato Brasileiro de 1974. Portanto, o repertorio do gringo era amplo, passando por Rene e Cafuringa ate' Pele'.

Mauro disse...

E ja' ia me esquecendo de elogiar a beleza de foto que ilustra o texto, rarissima, por sinal. Ou melhor, era. Voce fez bem de "carimbar" a foto, Valdir. Assim, quando ela aparecer no site do Milton Neves, as pessoas saberao de onde veio.

Em tempo, o Joel Santana apareceu no noticiario ontem, por causa da derrota da Africa do Sul para Portugal em amistoso disputado na Suica. Tomara que ele se aguente no cargo pelo menos ate' depois da Copa.

Roberto Vieira disse...

Caro Valdir, o caso eu conto como o caso foi: O Cafuringa nasceu e veio um rei magro (magro mesmo). Criança, peça o que quiser! Cafu pediu pra ser igual ao Garrincha. O rei magro concedeu, mas achou um desaforo com o Mané (de quem era fã). Só por sacanagem, deixou o Cafuringa com a ginga e o drible. Mas proibiu de fazer gol... Mensagem da Salvação! Quanto ao texto? Golaço, Valdir, golaço!

AIRTON LEITÃO disse...

Pois é, Valdir. Sugiro que você faça um levantamento, mas sempre achei que Renê fez mais gols contra em Andrada do que Pelé tenha feito no gringo.

Valdir Appel disse...

Mauro,
Ainda tenho na retina o gol do meio darua do Rene e o goleiro era o Pedro Paulo. Vamos conferir.

Roberto,
É aquela história, dependendo do padrinho, mal e mal o sujeito tem direito a um pedido.No caso este rei magro. É de doer!

Airton,
Pesquisa é com o Mauro. Logo logo ele aparece por aqui e nos conta quem fez mais gols no gringo: Renê ou Andrada

Antonio Estevan disse...

Valdir,

Não gosto de polêmicas ou teimas, mas será que não houve um engano no tocante ao goleiro que levou aquele sensacional gol contra do Renê.

Morava em BSB e o jogo foi transmitido pela TV.

Salvo engano, foi num jogo contra o América cujo placar foi, mais uma vez, salvo engano, 3x1, e o goleiro era o Andrada.

Insistindo sempre que não estou completamente certo, lembro que o locutor do jogo anunciou que a noiva do Andrada estava presente ao Maracanã.

De qualquer forma o texto, como sempre, está ótimo.

Abração.

Antº Estevam/Fortaleza

Antonio,
Continuo dizendo: isto é polemica pro Mauro Prais resolver.Meu goleiro aida é Pedro Paulo. Se eu estiver errado todos vão me perdoar. Amnésia é comum nos sex-agenarios.
Valdir
Abraço

Alexandre Porto disse...

Sugiro estes dois posts que falam do Cafuringa

Gol de Cafuringa: Uma raridade para os boleiros
http://www.aleporto.com.br/blog.php?tema=2&post=750

A Máquina Tricolor, Paulo Cézar Lima e o gol contra de Gerd Müller
http://www.aleporto.com.br/blog.php?tema=2&post=1157

Valdir Appel disse...

Valeu Alexandre.
Abraço,

Ricardo Antônio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo Antônio disse...

Grande Valdir, não cheguei a ver o Renê defendendo o Vasco (quando comecei a acompanhar futebol ele já estava de saída - acho que para o Botafogo), mas imagino os sustos que ele deve ter dado no Andrada (risos). Se vc me permitir, quando eu colocar uma foto do Renê lá no álbum, vou apresentar o teu relato. Grande abraço