domingo, 26 de abril de 2015

26 de abril de 2015 - Dia do Goleiro


Dia do Goleiro
No dia 14 de abril de 1975, comemorou-se, na Escola de Educação Física do Exército, no Rio de Janeiro, o primeiro Dia do Goleiro.
O encontro, promovido pelo professor Raul Carlesso, reuniu goleiros do passado e em atividade, e de escolinhas de vários clubes cariocas.
Foi emocionante ver Marcos Carneiro de Mendonça dando uma aula para os presentes. Ele foi considerado o melhor arqueiro amador de todos os tempos. Dizem que tinha uma apurada técnica, e não se arrojava nos pés dos atacantes, como a maioria faz, porque a sua colocação debaixo das traves era suficiente para deter os chutes adversários.
Foram exibidos slides mostrando o goleiro Andrada em ação, oportunidade em que Carlesso destacou, principalmente, a agilidade do argentino, que tinha o apelido apropriado de El Gato.
Barbosa ainda se apresentava inteiraço, fininho. De brincadeira, perguntamos por que ele havia parado de jogar. Osvaldo Baliza, elegante, de terno e gravata. Luiz Borracha, o único entre os aposentados, já totalmente fora de forma.
Na época, eu jogava no Bonsucesso, que fazia bonito no campeonato carioca.
O que pouca gente sabe é que a mudança radical nos métodos de treinamento de goleiros surgiu em 1969, quando Carlos Alberto Parreira assumiu a preparação física do Vasco da Gama. Era ele quem orientava e ministrava os treinos dos goleiros. Pedro Paulo e eu fomos surpreendidos com exercícios inusitados, que fugiam completamente da mesmice de até então, quando os treinos se resumiam a exaustivas sessões de cai-cai, chutes a gol e cruzamentos.
Parreira, que havia realizado clínica na Europa, onde teve oportunidade de ver em ação goleiros como o inglês Peter Shilton e o alemão Sepp Mayer, trouxe para o Brasil estas inovações, que posteriormente enriqueceu ao adicionar ao seu trabalho elementos técnicos e teóricos da escola sul-americana, trazidos ao Vasco pelo Andrada.
A partir de então, os fundamentos foram revistos, com a aplicação de treinamentos específicos que corrigiam desde a abertura das pernas e as mãos em relação à bola até a saída do gol e a reposição de bola.
Admildo Chirol e Carlesso, membros da comissão técnica da Seleção Brasileira em 1970, da qual também faziam parte Camerindo, Coutinho, Lídio Toledo, o técnico Zagalo e o próprio Parreira, aplicaram estes novos conceitos de aprimoramento técnico aos goleiros da equipe canarinho, passando a ser seus grandes divulgadores.
Desde então, a figura do “treinador de goleiros quebra galho” dos clubes passou a ser substituída por profissionais aplicados e estudiosos que acompanham a formação de goleiros desde as equipes de base.
Passar uma bola com os pés (como Rogério Ceni), fazer uma defesa de mão trocada, sair jogando como um zagueiro. Estes especialistas estão aí para ensinar. Nos jogos - fazem o scout - observam e anotam todas as particularidades da atuação do seu goleiro para corrigi-lo, se necessário, durante a semana.
Com as mudanças nas regras do futebol, o goleiro passou a ser muito mais exigido em seus atributos básicos, necessitando saber jogar tanto com as mãos quanto com os pés.
Foi-se o tempo em que era apenas o cara que não sabia jogar na linha e acabava no gol por falta de opção.

(À partir de 1976, o Dia do Goleiro passou a ser comemorado no dia 26 de abril, aniversário do extraordinário goleiro Manga).



17 comentários:

Anônimo disse...

Fantastico como voce consegue descrever o Futebol com tamanha pureza, parabéns pelo seu dia, afinal Goleiro sofre né meu caro! abraços Genildo Oliveira/ Mossoró RN

Anônimo disse...

Parabéns então pelo dia meu amigo
Um abraço,
Marcos Luiz Ibrahim Alves

Adalberto Day disse...

Valdir
Excelente sua matéria sobre goleiro. Você que jogou em muitos clubes por este Brasil a fora, e que conviveu no Vasco com Barbosa e Andrada – conhece todos os atalhos dessa posição tão importante no futebol. Parabéns pelo dia do goleiro e também pela bela postagem.
Adalberto Day de Blumenau

Mauro disse...

Valdir, voce esta' de parabens por essa revelacao de um fato tao importante quanto desconhecido do publico, que foi essa evolucao nos metodos de treinamento dos goleiros brasileiros. E mais uma vez me da' orgulho ver que o Vasco teve a sua participacao.

Adalberto Day disse...

Valdir
Mais uma bela postagem
Roberto Vieira, é um craque no que escreve. Não sabia que o dia do goleiro é 26 de abril em homenagem ao Manga. Vieira descreve com precisão sobre grandes nomes e feras dos que defendem suas equipes, o goleiro, e que esta homenagem também passa por você grande Chuiquinho Valdir. Só uma palavra define tudo no que ele escreve”Goleiro deveria ser Invencivél” hehehehe mais se assim o fosse, Pelé não teria feito mais de mil gols, O Roberto Dinamite não seria o melhor batedor de faltas de todos os tempos, e o Zico....


Já é a segunda vez que me manifesto sobre o dia do goleiro. Eu joguei muito futebol, no meio de campo ou de zagueiro, porém de vez enquando ia jogar de goleiro pois adorava. Confesso que aposição que mais gostava era de goleiro, achava fantástico aqui em Blumenau, ver o Ziza, o Nino e o Tillmann desfilarem com a camisa do Amazonas, com suas defesas e pontes espetaculares.
Abraços e parabéns
Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau

Í.ta** disse...

a você,
e a todos os citados,
meus parabéns especiais.

grande abraço!

Anônimo disse...

valdir, tô ligado na boca do gol. parabéns pelo dia do goleiro. o artigo de roberto sobre o goleiro perfeito tá muito bom. parabéns pelo super blog.

umabraçamigo

wilson freire

Antonio Estevam disse...

Valdir,

Emocionante o texto sobre os goleiros.
Acho que foi a posição que mais progrediu no futebol.
No link, uma defesa de uma mão só do Manga.
Abração.
http://www.youtube.com/watch?v=2XnZX37u1Z8

Eduardo Monteiro disse...

Muito bom Valdir.

Abraços,
Eduardo

Edinho Silva/Volta Redonda disse...

ACHO QUE É O SEU DIA E DE FATO, POIS VC ERA GOLEIRO E DOS MELHORES.
MAIS TEM MUITOS NO FUTEBOL QUE É VIGIA. HA! HA! HA!

ESTOU COM SAUDADES DE VC E DA FÁMILIA
BEIJOS A TODOS

Anônimo disse...

Grande Valdir. Em 1963 a saudosa Revista do Esporte postou uma contra-capa intitulada: "CINCO PARA UMA VAGA", mostrando os então cinco goleiros do elenco do flamengo, Marcial, Fernando, Mauro, Valdomiro e Joélcio (irmão do Joubert).
Você ou algum de seus leitores teria essa foto? Ou dela se recorda?
Abraços,

Marcus

Valdir Appel disse...

Marcus, lembro desta Revista. Tenho muitas guardadas e se você der um tempo vou ver se tenho este exemplar com os goleiros do Fla, abraço

Anônimo disse...

Grande Valdir,

Muito obrigado. Fico, então, no aguardo.

Seria impoertantíssimo para mim que historio o futebol brasileiro nos anos 60 (mais precisamente entre 1962 e 1967/68).

Abraços,

Marcus

PS: já tenho o link para a foto, da Revista do Esporte seguinte -n.252, de 4/1/64- com o mesmo estilo de matéria sobre os então seis goleiros do botafogo: Manga, Hélio, Florisvaldo, João Baptista, Ernâni e Ari Jório. http://datafogo.blogspot.com.br/2011/04/goleiros-do-botafogo-no.html

Anônimo disse...

Você se recorda, Valdir (ou algum de seus muitos leitores recordar-se-á), do Joélcio, irmão do Joubert?
Depois de ser aspirante no Fla foi para o Atlético Mineiro e jogou no Náutico, onde foi hexacampeão estadual na reserva do Lula "Monstrinho". Chegou a jogar umas partidas daquela campanha. Além da foto que procuro -a da Revista do Esporte-, só há disponível, do Joélcio, esta: http://navblog.uol.com.br/comment.html?postFileName=2012_04-10_12_30_18-9292294-0&idBlog=773938

Abraços,

Marcus

Valdir Appel disse...

Marcus, voce tem email? favor informar: o meu é appelval@terra.com.br

abraço

Anônimo disse...

Grande Valdir,

Grato.

Informo que enviei meu e-mail diretamente para o seu fazem já alguns dias.

Abraços,

Marcus

Luiz Gianesini disse...

Valdir, para nós Chiquinho, parabenizo pelo dia do goleiro e pelo material no site e pelos dois livros, que após lê-los, guardo com carinho