quarta-feira, 29 de abril de 2015

O goleiro e o montinho artilheiro.
Nos tempos de antanho, os goleiros sofriam com as pequenas áreas das suas balizas, onde não crescia grama.
Os chutes potentes de um Rivelino, Roberto Dinamite”, Nelinho, eram desferidos para o arco adversário, com intuito de resvalar nas deficiências apresentadas pela área irregular à frente do goleiro.
As defesas dos goleiros, quando possíveis, eram no susto e causavam rebotes, -aproveitados na maioria das vezes pelos centroavantes advers...ários, com o olhar complacente dos zagueiros da sua equipe, torcedores nestas horas de dificuldades.
Ontem considerei um absurdo, o argumento do bom goleiro Cássio, do Corinthians, atribuir ao montinho artilheiro a sua falha.
Atua em tapetes de bilhar, com vestimentas leves, luvas aderentes, chuteiras sem peso.
Poderia ser honesto e assumir que foi lento, calculou mal e saltou atrasado, por isso sofreu o gol.
Faz parte o erro de quem não tem o direito de errar.

Um comentário:

Adalberto Day disse...

Valdir,
Bem colocado sobre teu texto. Se o Cássio reclamou, porque ouviu falar dos morrinhos artilheiros do passado. Ele apenas justifica sua falha atribuindo ao morrinho. Nossa joga em berço de ouro e sai por aí reclamando.
Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau