segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O aniversariante do dia

ADEMIR

  • Nome: Ademir Marques de Menezes
  • Nascimento: 8/11/1922, Recife-PE
  • Falecimento: 11/5/1996, Rio de Janeiro-RJ
  • Períodos: 1942 a 1945 e 1948 a 1956
  • Posição: Atacante
Veio do Sport Club Recife ainda muito jovem, depois de impressionar a plateia carioca quando, em amistosos no início de 1942, o Sport venceu sucessivamente a Flamengo e Vasco. Com 301 gols em 429 partidas, o "Queixada" tornou-se o maior ídolo e artilheiro da história do Vasco, até aparecer Roberto.
Ademir foi titular absoluto da seleção brasileira, onde ocupava a posição de centroavante, tendo sido o artilheiro da Copa do Mundo de 1950, com oito gols. Pela seleção, marcou 35 gols em 41 partidas, com uma das melhores médias de todos os tempos.
Ademir era insuperável nas arrancadas com a bola sob controle (chamadas, na época, de "rush") e capaz de concluir com um ou outro pé com grande precisão, raramente perdendo gols em lances de área. Chutava sem tomar distância da bola, sem mudar o passo, surpreendendo muitas vezes aos goleiros. Toda uma equipe jogava para ele. Os lançamentos eram feitos longos para aproveitar-lhe a corrida, e no Vasco ele teve lançadores fenomenais a alimentá-lo, como Ipojucan e Danilo. Diz-se que com Ademir foi inventada a posição de ponta-de-lança, obrigando técnicos a adotarem novos sistemas para tentar contê-lo.
O período de Ademir no Vasco foi interrompido brevemente quando, em 1946, o técnico do Fluminense Gentil Cardoso exigiu que o clube o contratasse. Ficou famosa a sua frase "Dêem-me Ademir que eu lhes darei o campeonato", o que efetivamente aconteceu. Mas no início de 1948, Ademir foi contratado de volta pelo Vasco, onde foi o principal goleador das conquistas do lendário Expresso da Vitória, tendo inclusive marcado ambos os gols da vitória por 2x1 sobre o América na final do primeiro campeonato carioca disputado no Maracanã, em 1950. Era também conhecido como o carrasco do Flamengo, no qual quase sempre marcava gols.
Fonte: http://www.netvasco.com.br/mauroprais/vasco/index.html 

4 comentários:

Adalberto Day disse...

Valdir
Seja onde estiver nosso Ademir Marques de Meneses que Deus o proteja. Quem sabe, e para muitos o maior craque da história não só do Vasco, mas do Brasil na época. "Dei-me Ademir que lhes darei o titulo" essa frase famosa tirou o Ademir do Vasco para ser campeão pelo Fluminense....mas logo ele retornou pois o coração era cruzmaltino...lugar que nunca deveria ter saído. Grande Ademir, futebol de primeira linha...ele jamais mereceria perder aquela copa de 1950 onde foi artilheiro...tanto ele como Zizinho...Ademir nós vaiscaínos jamais iremos te esquecer..mesmo eu não tenha visto jogar"E precisava?", é a emsma coisa como tivesse vendo suas jogadas, naquelas famosas revistas grandes esportivas da época em que retratavam os lances em desenhos, era fantástico.
Parabéns nosso Grande ADEMIR que o Vasco ou sua diretoria nunca esqueçam que um dia por muitos anos você alegrou a nação vascaína, tua imensa torcida é bem feliz e graças a você e tantos outros grandes jogadores.
Parabéns pela postagem Valdir e lembrança.
Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau

Mauro disse...

Faco coro com o Adalberto Day e acrescento que, se o Brasil tivesse sido campeao em 1950, Ademir seria ate' hoje nivelado aos maiores craques que mais tarde conquistaram Copas para o Brasil. Esta' ai' um que, mais do que nenhum outro, merecia uma estatua em Sao Januario. Valdir como sempre mandou bem ao contribuir para que esse grande idolo nao caia no esquecimento. Obrigado pela transcricao do material do meu site e sinta-se sempre a vontade para aproveitar o material.

Abracos,

Mauro

Airton Leitão disse...

Por uma incrível coincidência, ontem e hoje falei com dois amigos sobre o inesquecível Ademir. É que ambos estranharam o fato de na minha infância em Pernambuco eu ser torcedor do rubro-negro Sport e no Rio torcer pelo Vasco da Gama. È porque vim para o Rio em 1950, em plena Copa e orgulhoso do meu conterrâneo escolhi torcer aqui pelo clube em que Ademir jogava - Vasco. Se tu tivesse chegado por aqui em 1946 talvez eu hoje fosse um tricolor.

Valdir Appel disse...

Alexandre,
sobre as fotos do Érico Zendrom:
tenho informações sobre as fotos sim.
Apenas postei algumas imagens sem identificação, pela beleza dos registros. Tenho centenas, disponibilizadas pelo amigo Érico.